“A violência urbana é um dos principais desafios de Niterói”, diz Rodrigo Neves

  •  
  •  
  •  
  •  

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, reuniu-se na manhã desta terça-feira (24/3) com vários segmentos da sociedade civil da cidade para discutir ações na área de segurança pública.

Ao final do encontro, foi elaborada uma pauta de medidas que serão implementadas. Uma delas será solicitar às polícias rodoviárias federal e estadual uma ação mais intensa nas rodovias que permitem o acesso à Niterói.

De acordo com o prefeito, é fundamental intensificar o policiamento na divisa de Niterói com outros municípios já que boa parte dos crimes cometidos aqui são praticados por suspeitos que entram na cidade pelas rodovias.

A segunda medida é o reforço da campanha para a criação de um novo batalhão para que o 12º BPM atue exclusivamente em Niterói. Hoje a unidade atende também ao município de Maricá. Rodrigo Neves lembrou que, nos últimos dois anos, o efetivo da PM passou de 600 para 1.100 mas isso não foi suficiente

A terceira ação discutida é o engajamento de empresas, associações comerciais, Câmara dos Diretores Lojistas (CDL), Ademi e a Prefeitura para promover a inclusão produtiva de jovens e adolescentes, seja pelo programa Aprendiz ou de iniciação ao primeiro emprego.

Foi proposto ainda para o mês de abril a criação um dia de mobilização pela paz e prevenção contra a violência em Niterói envolvendo várias instituições (escolas, igrejas, postos de saúde, empresas) .

O prefeito informou ainda que na próxima semana, durante reunião do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), será discutida a implantação de duas novas cabines integradas da Polícia Militar e Guarda Municipal primeiramente na Região Oceânica e, em seguida, no Fonseca.

Rodrigo Neves disse ainda que, em abril, serão convocados mais 75 guardas municipais aprovados no último concurso público da corporação e que ainda neste semestre, será concluída a obra do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), na Região Oceânica, que será disponibilizado para as forças de segurança estaduais.

O chefe do Executivo niteroiense destacou a importância da participação dos municípios na questão da segurança pública.

“A violência urbana é um dos principais desafios de Niterói, mas não apenas de Niterói, e sim da região metropolitana. É um problema complexo, que tem múltiplas causas e precisa ser enfrentado com uma abordagem interdisciplinar e multidimensional. A segurança pública é uma atribuição dos estados mas está cada vez mais evidente que os estados sozinhos não estão conseguindo enfrentar esse quadro dramático no meio urbano brasileiro. É preciso uma participação mais ativa do governo federal, das prefeituras, do Poder Judiciário, e da sociedade civil. Desde 2013, quando esta gestão assumiu, estamos cooperando e cobrando ações para que a população de Niterói possa viver com mais tranquilidade. A cidade de Niterói é muito mais forte do que qualquer situação relacionada à violência urbana e a criminalidade. Tenho certeza de que o município será uma referência positiva em segurança urbana no Estado do Rio e no Brasil”, observou.

Queda no número de homicídios

Durante a reunião, o titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, Fábio Barucke, destacou que o mês de fevereiro de 2015 apresentou uma redução de 65% no número de homicídios em relação ao mesmo período do ano passado (foram 48 em 2014 e 18 este ano) na região de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. Segundo ele, a área nunca teve um índice tão baixo de homicídios nos últimos dez anos.

Afirmou ainda que, em janeiro, a redução deste tipo de crime foi de 10%. Para março, a previsão de queda é de 30%. No ano passado, segundo ele, a redução foi de 30% em relação a 2013.

O prefeito destacou o trabalho feito pela Delegacia de Homicídios na apuração de crimes e prisão de suspeitos, como do caso do assassinato do ex-vereador Carlos Alberto Magaldi, ocorrido na semana passada.

“O trabalho da Delegacia de Homicídios tem sido fundamental no combate às redes criminosas e na identificação e prisão de homicidas que tiram a vida das pessoas. Reiteramos a confiança nas forças de segurança e no trabalho dos policiais civis e militares”, opinou.

Participaram também da reunião o arcebispo de Niterói, Dom José Francisco, o presidente da Câmara Municipal de Niterói, vereador Paulo Bagueira, o presidente da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Niterói), Jean Pierre Biot, o presidente da OAB Niterói, Antônio José Barbosa da Silva, o presidente da Associação de Pastores da Assembleia de Deus, Marcos Raposo, o presidente do Sindicato dos Lojistas (SindLojas), Charbel Tauil, além de representantes da UFF (Universidade Federal Fluminense), do DCE (Diretório Central dos Estudantes) da universidade, Famnit (Federação das Associações de Moradores de Niterói) e secretários municipais.

You may also like...