Biblioteca Parque passa a ser administrada pelo município

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

CCO

A Biblioteca Parque de Niterói foi reaberta na tarde desta segunda-feira (5), quando a Prefeitura de Niterói assumiu a administração da unidade, que estava fechada desde fevereiro de 2017, em função da situação econômica do Governo do Estado.

Patrimônio histórico e referência para pesquisa, arte e conhecimento, a Biblioteca será  a partir de agora, totalmente administrada pela Prefeitura, por meio Secretaria Municipal de Cultura e Fundação de Arte de Niterói (FAN), e terá seu pleno funcionamento restabelecido com atendimento em multilinguagens e atividades culturais diversas.

“Acreditamos que Niterói é motivo de orgulho para cada um de nós, com suas belezas naturais, assim como esse prédio também, que representa esse orgulho, que faz parte dessa história. Fui o prefeito que mais construiu casas populares, que mais construiu escolas. Reabrir a biblioteca também é prevenção a violência, dando oportunidade para que jovens estejam aqui na biblioteca estudando, terão novamente espaço de construção do saber, de convivência, de pesquisa… Decidimos tomar essa medida mais extrema que é a municipalização até dezembro de 2020. Assegurei recursos e vamos investir R$ 5 milhões para mantê-la aberta. No Dia 29 de junho vamos lançar o plano estratégico até 2020. A cidade não vai parar e se submeter a essa crise”, disse o prefeito Rodrigo Neves.

Localizada na Praça da República, um dos marcos arquitetônicos da região do Centro, a Biblioteca Parque de Niterói estava fechada desde fevereiro de 2017, por conta da dificuldade financeira em que o Governo do Estado do Rio se encontra.

“A municipalização foi a forma encontrada pela prefeitura para reabrir a Biblioteca e mantê-la em pleno funcionamento para o cidadão e mostra o comprometimento da gestão municipal com a cultura e o patrimônio histórico”, ressalta o Secretário de Cultura, Marcos Gomes.

Em novembro de 2015, a Prefeitura de Niterói, com o objetivo de auxiliar o Governo Estadual e garantir à população o acesso à Biblioteca, assumiu, através de um convênio, todos os custos relativos à manutenção do equipamento, que continuava a ser administrado pela Secretaria de Estado de Cultura. Durante todo o ano de 2016 até fevereiro de 2017, a prefeitura fez repasses mensais para o Governo do Estado, somando um investimento de R$2,37 milhões.

Evento que marcou a municipalização foi realizado na tarde desta segunda-feira (5) (foto: CCO)

A BPN vinha recebendo, em média, 400 pessoas por dia e 8 mil usuários por mês. Seu acervo conta com mais de 60 mil itens, incluindo livros, jornais, revistas, enciclopédias, biografias, DVDs, músicas digitalizadas, livros e equipamentos em Braile. No local, há exibições individuais de filmes, saraus de poesia, shows musicais e leituras dramatizadas. A biblioteca abriga ainda a sede da importante Academia Fluminense de Letras.

Leia também

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *