Caminhão itinerante realiza teste de HIV em São Gonçalo até a próxima segunda

  •  
  •  
  •  
  •  



O caminhão laboratório itinerante, que realiza testes rápidos de Aids e sífilis, vai fazer sua próxima parada na Praça do Rocha, em São Gonçalo, na hoje. A unidade móvel já passou por Jardim Catarina, Rio do Ouro, Itaoca, Vista Alegre, entre outros bairros, e ficará na cidade até o dia 20 de julho. Na quarta-feira (15), o caminhão atendeu a população na Praça do Barro Vermelho.

Mais de 1000 pessoas fizeram os exames. Destas, 4 foram diagnosticadas com Aids e 25 com sífilis. A campanha visa prevenir a transmissão da doença, estimular o uso de preservativos e identificar pessoas infectadas com as doenças e encaminhá-las para o tratamento que é realizado no PAM Neves, no bairro de mesmo nome, e no Polo Sanitário Hélio Cruz, em Alcântara.

O processo de realização dos testes dura 20 minutos e é divido em três etapas. Na primeira etapa o paciente realiza o aconselhamento pré-teste com atendimento de avaliação de risco, onde são respondidas algumas perguntas, seguido da coleta de sangue e entrega do resultado que é feita pela assistente social.

“É rápido, seguro e o teste é feito anonimamente. O resultado é dado em um atendimento individual. É importante que as pessoas tenham responsabilidade e se previnam nas relações sexuais para que esse número pare de crescer. Já oferecemos o serviço no município desde 94 e acabamos de ampliar, criando um núcleo em Alcântara, onde a população pode realizar o teste de segunda à sexta-feira”, explica o coordenador municipal de DST/Aids, Antônio Tavares

Dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU), revelam que 15 milhões de pessoas estão recebendo os coquetéis de combate ao vírus e que o objetivo de acabar com a doença até 2030 pode ser considerada “realista”.

No ano 2000, a ONU estabeleceu como uma das metas frear e reverter a Aids no mundo. Em 2015, os dados apontam que as novas infecções caíram em 35% e as mortes foram reduzidas em 41% em 15 anos. Os estudos da ONU revelam que o investimento no combate à doença foi um dos mais produtivos em gerações.

Os atuais números brasileiros sobre a aids não seguem a mesma tendência mundial. No ano 2000, entre 360 mil a 500 mil brasileiros eram portadores do vírus. Hoje, ele seriam entre 610 mil e 1 milhão de pessoas. O número de novos casos também aumentou. Em 2000, entre 29 mil e 51 mil pessoas foram contaminadas no país. Em 2014, esse número variou entre 31 mil e 57 mil.

O número de casos de jovens entre 15 e 24 anos infectados pelo vírus da Aids aumentou no país. Em São Gonçalo, 2.200 pessoas fazem tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre janeiro e abril deste ano foram identificados 131 novos casos da doença. Destes, 50% eram de jovens.

O programa municipal de DST/Aids conta com o Centro de Testagem Anônima, no PAM Neves, e no Polo Sanitário Hélio Cruz, em Alcântara, onde qualquer pessoa pode realizar o teste rápido de HIV, Sífilis e Hepatites B e C com orientação de psicólogos e assistentes sociais.

Além disso, diversos profissionais como infectologistas, hepatologistas, nutricionistas, ginecologistas, psicólogos, assistente sociais, dentistas e pediatras realizam o tratamento dos portadores da doença após a confirmação do diagnóstico. A coordenação também realiza a distribuição de preservativos e material educativo para a população. A Coordenação Municipal de DST/Aids funciona no PAM Neves e atende no número 2624 5756 e no email: coorddstaidssg@yahoo.com.br

You may also like...