Chega a 89 o número de policiais mortos desde o início do ano no Rio

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Thiago Marzula de Abreu, de 30 anos, foi morto ontem(17) a noite em São Gonçalo | Reprodução

Com a morte dos policiais militares Bruno dos Santos Leonardo, de 29 anos e Thiago Marzula de Abreu, de 30 anos, nesta segunda-feira (17), subiu para 89 o número de policiais militares mortos no Rio de Janeiro desde o início do ano. Leonardo foi vítima de uma emboscada, na hora da rendição das equipes de policiais, na Base Avançada do Telégrafo, que faz parte da comunidade da Mangueira, na zona norte da cidade.

Já Thiago Marzula, foi morto enquanto patrulhava a comunidade conhecida como Morro do Dita, no bairro Jóquei, em São Gonçalo e morreu ao dar entrada no Hospital Estadual Alberto Torres, em Colubande, São Gonçalo.

Saiba mais

Atingido por um tiro na cabeça, Bruno dos Santos morreu ao chegar ao Hospital Quinta d’Or, que fica perto da Mangueira. Um policial que estava com Leonardo foi baleado na perna e também levado para o Quinta d’Or. Operado, o policial está em observação, mas fora de perigo.

O número de policiais mortos neste ano no Rio de Janeiro já supera em 10 o número dos que foram assassinados em 2016. Entre os policiais militares mortos em 2017, 18 estavam em serviço, 53 de folga e 17 já estavam reformados, na reserva.

O Disque-Denúncia colocou nas redes sociais um pedido de paz e um basta para a morte de policiais. O serviço apela à população para que ajude a localizar o chefe do tráfico de drogas no morro da Mangueira, Reginaldo dos Santos Sena, o Dedé, suspeito de ter comandado a ação contra os militares no morro do Telégrafo. O contato pode ser feito pelo WhatsApp ou pelo telefone 2253-1177. O anonimato é garantido.

O cabo Bruno Leonardo estava na Polícia Militar há seis anos, era casado e deixa uma filha e um enteado.

You may also like...

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *