“Estamos a anos-luz desse futebol vistoso do Barça”, por Key Campos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Futebol europeu impressiona pela qualidade e organização (Reprodução)

Futebol europeu impressiona pela qualidade e organização (Reprodução)

Depois de assistir o jogaço Barcelona 3 x 1 Juventus, com mais um show de Messi e cia, deu vontade de chorar ao assistir os jogos dos times do Rio.Realmente estamos a anos-luz desse futebol vistoso do Barça e seus rivais na Champions. Cito os times do Rio porque são os jogos que mais acompanho, mas poderia incluir o futebol brasileiro em geral.

No caso da final da Champions League, a gente percebe que além do vistoso futebol, existe toda uma organização em volta que cria um glamour da maior competição entre clubes do planeta. Parabéns aos times e aos organizadores.

Sabemos que o poder financeiro é algo que conta muito, mas pelo menos podemos sonhar em bons jogos e grandes esquadrões brasileiros que fazem lembrar esse Barcelona por exemplo, times como o Santos de Pelé, Botafogo de Garrincha, Cruzeiro de Tostão, Fluminense de Rivelino, Flamengo de Zico, Vasco de Edmundo, São Paulo de Raí, Palmeiras de Ademir da Guia e etc são bons exemplos.

Ufa!

Na noite deste sábado, sem jogar bem, o Fla conseguiu sua primeira vitória no Brasileirão ao bater a Chapecoense por 1 a 0, gol de Gabriel. O Rubro-negro, que desde o inicio do jogo foi pra cima da Chapecoense, mostrou a mesma desorganização de sempre. Com Canteros jogando como meia (invenção do Cristóvão), o time não teve uma jogada de infiltração ou lançamentos, errando muitos passes e insistindo no “chuveirinho”, o primeiro tempo foi morno.

No segundo tempo, o Fla foi mais incisivo, a Chape se fechou mais e num raro lance isolado, Cirino, que está muito mal, recebeu um lançamento e iria ficar cara a cara com o goleiro, quando o zagueiro Vilson fez falta e foi expulso.

Logo após, numa pressão, o goleiro Danilo saiu mal e Gabriel, mesmo errando o chute acertou o gol.

O Fla poderia ter ampliado, mas aí o professor Cristóvão resolveu inventar mais uma vez ao colocar o zagueiro Frauches como volante, chamou a Chape com um a menos pra cima e quase o lateral Apodi empata num tirambaço de fora da área que Paulo Vitor fez grande defesa. O Cristóvão deveria fazer o feijão com arroz, não é hora de inventar.

Flamengo: Paulo Victor; Luiz Antonio, Samir (Bressan), Wallace e Pará; Jonas (Frauches), Márcio Araújo, Canteros e Gabriel (Paulinho); Eduardo da Silva e Marcelo Cirino. Técnico: Cristóvão Borges

Chapecoense:
Danilo; Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Elicarlos, Gil, Bruno Silva (Abuda) e Wagner (Maranhão); Ananias (Neto) e Edmilson Técnico: Vinícius Eutrópio

O público foi de 19.690 pagantes.

E o drama Cruz-maltino continua

O Vasco, depois do mico que pagou ao tomar três da Ponte Preta durante a semana em São Januário, foi a Curitiba enfrentar o Atlético (PR) e sinceramente pensei que seria um desastre, mas não. Por incrível que pareça o Vasco começou sofrendo grande pressão, mas resistiu e até se comportou bem taticamente no primeiro tempo que terminou 0 a 0.

No início do segundo tempo, num pênalti infantil, Nicão abriu o placar para o furacão que ampliou no final com Ítalo 2 a 0. O Vasco, que tem recordes de artilheiros no campeonato brasileiro, como Bebeto, Dinamite, Edmundo (recordista de gols num só jogo: 6 contra União São João), sofre com a falta de gols e vitórias, são 6 jogos, apenas um gol e nenhuma vitória.

O Cruz-maltino tem mais uma predeira, o Cruzeiro do animado Luxemburgo em São Januário. Não tem moleza, só pedreira.

patética trombada entre Rafael Silva e a eterna promessa Thalles, mostra a cara do Vasco nesse inicio de campeonato.

Atlético-PR: Weverton, Eduardo, Gustavo, Kadu e Natanael (Guilherme Arana); Otavio Hernani, Nikão (Jadson) e Giovani (Ytalo); Douglas Coutinho e Walter. Técnico: Milton Mendes

Vasco: Charles, Madson, Luan, Rodrigo e Júlio César (Jhon Cley); Lucas, Serginho (Jackson Caucaia), Julio dos Santos (Riascos) e Emanuel Biancucchi; Rafael Silva e Thalles. Técnico: Doriva

O público presente foi de 16.750

Empate sem sal no Maracanã

O empate entre Fluminense e Sport (0 a 0) no Maracanã não me surpreendeu. O Flu não jogou tão bem assim contra o Fla e menos ainda contra o Coritiba, mas venceu, o que maqueia atuações fracas.

Num jogo sonolento, Gerson não apareceu, consequentemente Fred também não e o Sport, que só saia na boa, conseguiu o resultado que esperava: o empate. A melhor chance do Flu foi numa cabeçada de Marcos Junior que o goleiro do Sport fez grande defesa, no rebote o atacante sofreu pênalti ignorado pelo árbitro.

O Tricolor enfrenta o Palmeiras no próximo fim de semana, em São Paulo. Fred, que saiu no intervalo do jogo de ontem, não deve ser problema.

Fluminense: Diego Cavalieri, Renato (Wellington Silva) Gum, Antônio Carlos e Giovanni; Edson, Jean, Wagner, Gerson e Vinícius (Marcos Junior); Fred (Magno Alves) Técnico: Enderson Moreira

Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Neto Moura (Régis), Mike (Danilo) e Diego Souza; Maikon Leite( Rodrigo Mancha) Técnico: Eduardo Baptista

O público foi de 13.108 pagantes.

Botafogo segue tranquilo rumo à Série A

Bill fez as pazes com o gol e o Botafogo venceu mais uma, desta vez, a vítima foi o Mogi Mirim: 3 a 0. Pimpão e Lulinha (que encaixou muito bem nesse time), completaram o placar.

Na próxima rodada o Glorioso encara o Oeste, se manter a pegada, passa fácil.

Botafogo: Renan; Gilberto, Roger Carvalho, Renan Fonseca e Pedro Rosa (Luis Ricardo); Diego Giaretta, Guilherme Camacho, Lulinha e Daniel Carvalho (Tomas); Rodrigo Pimpão e Bill (Vinicius Tanque) Técnico: René Simões

Mogi Mirim: Daniel; Valdir (Henrique Motta), Alex Moraes, Wagner e Leonardo; Magal, Hygor (Dunguinha), Romarinho e Gustavo Costa: Geovane e Júnior Juazeiro (Matheus Ortigoza) Técnico: Aílton Silva

O público foi de 7.838 pagantes.

Outros resultados

Santos 2 x 2 Ponte Preta; Figueirense 2 x 1 Palmeiras; Inter 2 x 0 Coritiba; Joinville 0 x 1 Corinthians; Goiás 0 x 1 Avaí; São Paulo 2 x 0 Grêmio; Atlético (MG) 1 x 3 Cruzeiro.

Seleção Brasileira

Galera, desculpas, mas depois do fatídico 7 a 1, de lá pra cá não tenho assistido jogos da Seleção, ainda mais contra reservas… fala sério né.

Carregando…

Tabela do Brasileirão


 

Amigos, toda segunda-feira eu estarei aqui expondo o meu ponto de vista sobre os times cariocas no maior campeonato de futebol do mundo, o Brasileirão. Conto com sua atenção. Pode nos enviar sugestões, críticas e reclamações: redacao@correiodacidadeonline.com.br

Grande abraço!

Key Campos


A opinião contida neste artigo é de inteira responsabilidade do seu autor. O seu conteúdo não expressa necessariamente a opinião do Correio da Cidade Online.

You may also like...