Exposição sobre violência contra a mulher busca conscientização

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quem comparecer à sede da Prefeitura de segunda-feira (10/11) até sexta-feira (14/11) poderá conferir uma exposição, no saguão principal, que tem como objetivo conscientizar a população acerca da violência contra as mulheres. A mostra, promovida pela subsecretaria de Política para as Mulheres e que esteve na semana anterior no Anexo da Prefeitura em Alcântara, é composta por diversos cartazes com dados sobre violência, explicações sobre leis e direitos, exemplos de mulheres importantes para a história do país, entre outras informações.

“Nosso objetivo é cada vez estar sensibilizando a população no sentido da não violência contra a mulher. Na nossa concepção, quanto mais se divulga sobre o assunto mais combate-se esse problema. Podemos perceber que as pessoas que estão entrando na sede da Prefeitura param para olhar a exposição e se informar sobre o assunto. Até mesmo os homens, que sempre acabam citando a Lei Maria da Penha, a qual trouxe um grande avanço na defesa das mulheres”, destacou a subsecretária Luzinete Araújo.

Ainda de acordo com Luzinete, é importante que as mulheres entendam que o silêncio é cúmplice da violência: “Elas precisam denunciar. E os vizinhos, parentes e amigos também têm uma responsabilidade social, pois quando uma mulher está sendo agredida, essa é uma agressão contra a sociedade também”, enfatiza.

A exposição já é uma introdução à campanha “16 dias de Ativismo pelo fim da violência contra as Mulheres”, que costuma ser realizada do dia 20/11 ao dia 10/12 ao redor do mundo. A campanha foi criada em 1991, por 23 feministas de diferentes países. Trata-se de uma mobilização educativa, que luta pela erradicação da violência e garantia dos direitos das mulheres. Mas para a subsecretária, o trabalho deve ser desenvolvido nos 365 dias do ano.

“Todos os dias devemos combater à violência, tanto contra a mulher quanto contra o idoso, a criança, os deficientes. Nosso objetivo é alcançarmos uma sociedade mais humanizada, onde a coletividade e a fraternidade estejam acima de tudo”, concluiu.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *