I Salão Municipal do Livro de São Gonçalo vai até amanhã

  •  
  •  
  •  
  •  

livro 1Um público de cerca de 2 mil pessoas – entre estudantes, professores e pais – circularam pela I9 no primeiro dia do I Salão Municipal do Livro de São Gonçalo. O evento foi aberto na tarde desta terça-feira, dia 10 de março, pelo prefeito Neilton Mulim, e os secretários de Educação, Cláudio Mendonça, e de Cultura, Michel Portugal.

“Precisamos focar na educação. Não é uma resposta a curto prazo, mas a diferença será notada nas próximas gerações. Estamos despertando a sensibilização das pessoas. Uma criança que chega com um livro em casa não vai ser a única a ler. A leitura vai ser compartilhada pelo pai, pela mãe e pelos irmãos”, destacou Neilton.

O Salão do Livro continua até a próxima quinta-feira, dia 12, quando é comemorado o Dia Municipal de Incentivo à Leitura.

“A quantidade de pessoas presentes nos mostra que há vontade de ler. O que não havia é o acesso ao livro. Queremos que cada jovem tenha uma biblioteca em sua escola, em sua sala de aula, mas que também construa sua coleção de livros em sua residência”, enfatizou Cláudio Mendonça.

livro 2A contadora de histórias Kiara Terra apresentou uma adaptação de “Obax – A coragem de inventar suas próprias histórias”, que ganhou o Prêmio Jabuti de melhor infantil, em 2011. A história apropria-se de elementos culturais africanos e afro-brasileiros para relatar as aventuras de Obax, uma criança de imaginação fértil que inventava histórias que, de tão criativas, crianças e adultos não acreditavam.

Logo depois, Thalita Rebouças, que escreve para o público adolescente e é a escritora brasileira que mais vende publicações neste segmento no Brasil, subiu ao palco e levou a plateia ao delírio. Depois, parou para tirar fotos e autografar livros para 200 fãs.

“Sou muito fã. Tenho todos os livros. Nem acreditei quando soube que ela vinha para São Gonçalo. Eu confesso que não gostava de leitura, mas comecei a gostar por causa dela”, disse emocionada Ana Gomes Souza, 13 anos, que aguardava na fila a sua vez.

A contadora de histórias Maria Clara Cavalcanti, do grupo Confabulando, se apresentou no espaço “Canto de Contos 1” e logo depois ministrou uma oficina de contação de histórias, no Espaço Affonso Romano de Sant’Anna.

Simultaneamente, os poetas gonçalenses Rodrigo Santos, Romulo Narducci, Matheus Goudar e Carlos Eduardo Vitorino falaram sobre poesia durante 40 minutos, com a oficina “A Nova Poesia Gonçalense – Uma Noite na Taverna e Coletivo Ágora Urbana”.

A jornalista, radialista, publicitária e escritora Cláudia Cataldi leu as histórias bilíngues “A Família Salada” e “O sol que queria nascer de noite”, enquanto o proprietário da livraria Gutenberg de Icaraí, Antônio Eduardo Gomes, recitou poemas do poeta português Fernando Pessoa no stand da livraria. Especialista em Educação Bilíngue, Cláudia Spitz deu uma palestra com o tema “Ouvindo histórias, fortalecendo laços: a importância das histórias na educação bilíngue”.

Fechando o evento, a coordenadora de Educação Integral, Shrilei Victorino, e o doutor e mestre em literatura brasileira Érico Braga foram responsáveis pela palestra “Gosto Literário – Pra não dizer que não falei dos livros”.

“Acreditamos que a leitura é o caminho para transformar a realidade. É um investimento a longo prazo, mas seguro, que forma cidadãos pensantes, responsáveis e críticos”, ressaltou a coordenadora municipal de leitura Isabel Tubino, que é doutora em linguística e coordenadora do Comitê do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler) em São Gonçalo.

As atividades estão sendo custeadas pelas editoras, em contrapartida ao espaço oferecido pela secretaria de Educação e aos stands fornecidos pela secretaria de Cultura.

You may also like...