Industrias do Leste Fluminense propõem melhorias da infraestrutura e energia

  •  
  •  
  •  
  •  



Industriais do Leste Fluminense destacaram a necessidade de investimentos em infraestrutura e de melhoria no fornecimento de energia para fomentar o desenvolvimento da região. Essas são algumas das principais propostas que vão compor o Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro (2016-2025). O encontro aconteceu nesta quinta-feira (28/04), em Niterói, na sede da Representação Regional da FIRJAN Leste Fluminense e contou com a participação do presidente da Federação, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira.

firjan1A fase de debates para conclusão do Mapa se encerrou no encontro de Niterói. Ao todo, mais de mil empresários se mobilizaram para montar o documento, cujo objetivo é melhorar o ambiente de negócios e servir como bússola para a retomada do desenvolvimento sustentável do estado do Rio e do país. Foram realizadas 28 reuniões entre fevereiro e abril na capital e também nas cidades de Campos, Macaé, Petrópolis, Friburgo, Três Rios, Volta Redonda, Caxias e Nova Iguaçu.

A expansão do Arco Metropolitano de Manilha a Maricá foi um dos pleitos escolhidos pelos empresários como prioridade. “A obra tem potencial para reduzir o custo de movimentação de cargas e aumentar a atração de novos investimentos para a região”, explicou Luiz Césio Caetano, presidente da Representação Regional FIRJAN/CIRJ Leste Fluminense.

Questão que gerou muito debate entre os empresários foi a proposta de garantir a estabilidade no fornecimento de energia e a ampliação de carga. “Não temos energia para suportar o crescimento dos negócios”, destacou Ronaldo Thomaz, diretor executivo da Bywer, indústria de plásticos, instalada na Região dos Lagos. Ele enfatizou também que as empresas da região sofrem com escassez de água e estradas esburacadas. “Não temos infraestrutura”, resumiu.

“Vamos fortalecer nossa atuação institucional em relação à agência reguladora de energia elétrica para que elas, de fato, protejam os consumidores”, afirmou Eduardo Eugenio.

O Mapa do Desenvolvimento será lançado em maio, mês da indústria, com uma visão geral do estado e as ações prioritárias definidas pelos industriais do estado do Rio. O documento, construído pelos empresários, será complementado por dez agendas – nove regionais e uma da capital –, em que as propostas serão ampliadas. O objetivo é que as propostas sirvam como instrumento de debate nas eleições municipais durante o segundo semestre.

Sobre o Mapa do Desenvolvimento

O Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro surgiu em 2006 para apresentar a visão da indústria sobre os principais problemas do estado. O documento tratou de temas como infraestrutura e logística, gestão pública, educação, que foram trabalhadas com as principais lideranças políticas do estado e do país. Das ações traçadas, 74% avançaram ou foram concluídas.

Entre as realizações do Mapa estão a implantação do Arco Metropolitano, a concessão de rodovias como a BR-101 Norte, a eliminação de gargalos logísticos em portos e aeroportos, a criação do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a reestruturação do sistema de licenciamento ambiental, além do fortalecimento da indústria criativa.

As iniciativas tiveram influência de estudos e da atuação do Sistema FIRJAN.

You may also like...