Itaboraí mostra bons resultados de programas associados à educação

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

educacaoitaDuas atividades inovadoras com foco na alimentação desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Saúde de Itaboraí foram selecionadas para serem apresentadas em seminários de pesquisa, no Rio de Janeiro. Uma delas utiliza técnicas de agricultura no tratamento da tuberculose. A outra, em parceria com a Secretaria de Educação, adota métodos de entretenimento, como teatro e música, busca reduzir o índice de obesidade e magreza de estudantes nas unidades escolares. Ambos os projetos foram colocados em prática este ano, e serão expostos na próxima quarta-feira (07).

A primeira apresentação, sobre técnicas de mobilização e acompanhamento de pacientes com tuberculose. ocorre às 9h no Hotel São Francisco, no Centro do Rio, durante o seminário Fala Comunidade, promovido pelo Centro de Promoção da Saúde (Cedaps), que tem como tema “Histórias de Prevenção e Cuidado”.

Segundo a coordenadora do Programa Municipal de Controle da Tuberculose (PMCT) de Itaboraí, a enfermeira Maria José Fernandes, a iniciativa de agregar as técnicas de agricultura às atividades realizadas com pacientes em tratamento surgiu a partir dos sintomas apresentados por eles. Segundo a profissional, em geral, aqueles que adquirem a doença tendem a perder peso e apetite. E quando iniciam o tratamento, a variedade de medicamentos ingeridos exige uma alimentação regular e rica em nutrientes.

“O tratamento da tuberculose é demorado. Em média, dura seis meses. E o êxito na cura passa também por aquilo que ingerimos. A proposta do nosso projeto é mostrar que todos podem se alimentar bem, gastando pouco. É possível ter uma horta em casa usando, inclusive, garrafas pet como”, afirma Maria José.

Já às 13h, a equipe do Programa Saúde na Escola de Itaboraí (PSE) apresenta dados de uma amostra inédita realizada em 24 escolas da cidade, que detalha o perfil nutricional dos estudantes do município. O evento ocorrerá na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), no II Seminário de Enfrentamento e Prevenção da Obesidade. Além da pesquisa, também serão abordadas as iniciativas para reversão do quadro.

educacaoita2“A partir da pesquisa, nós realizamos uma série de atividades com funcionários, pais e alunos para reduzir o número de estudantes acima do peso. Simultaneamente, encaminhamos os casos mais graves para consultas com nutricionistas. Mas só isso não basta. Apelamos também para peças educativas e paródias, a fim de conscientizar os alunos”, afirmou a enfermeira Caroline do Carmo, coordenadora do PSE.

Pesquisas

De acordo com o estudo feito pelo Programa Saúde na Escola, no início deste ano, dos 6.772 alunos do município de Itaboraí que participaram do levantamento, 14% estavam acima do peso e outros 10,8% em estado de obesidade. Uma nova pesquisa será feita nos primeiros meses de 2016, para constatar o resultado das atividades educativas que foram implementadas.

Em relação à tuberculose, os últimos indicadores do setor de Vigilância Epidemiológica de Itaboraí mostram que o número de pessoas que abandonam o tratamento da tuberculose caiu de 30%, em 2002, para 8,5% em 2013. Os indicadores de cura também melhoraram. Em 2002, eram 62%, e em 2013 somaram 73,8%. Ao todo, em 2014, foram registrados 92 casos da enfermidade em Itaboraí. O índice de cura do ano passado ainda não foi consolidado, uma vez que o tratamento dura no mínimo seis meses.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *