Itaboraí triplica número de veículos do programa Ônibus Universitário

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Prefeitura de Itaboraí quase triplicou o número de veículos do Ônibus Universitário, programa que transporta gratuitamente moradores da cidade para estudar em faculdades de Niterói e São Gonçalo.

No início de 2013, o município contava com apenas cinco ônibus, que transportavam 500 alunos. Hoje, são 14 veículos disponibilizados pela Prefeitura a 1.600 estudantes da cidade em trajeto de ida e volta, de segunda a sexta-feira.

O aumento da frota tem reduzido a fila de espera pela utilização do transporte. Em janeiro de 2013, cerca de mil alunos aguardavam por uma vaga. Hoje, mesmo com o número crescente de estudantes, são 200 a espera do serviço.

“Ainda não cobrimos toda a demanda, mas avançamos muito nesse sentido. O aumento do efetivo é importante para Itaboraí, principalmente no momento de crise pela qual a cidade vem passando com a paralisação das obras do Comperj”, diz Thiago Thitow, coordenador do Espaço Universitário, responsável pela administração dos ônibus. “Muita gente decidiu iniciar o ensino superior por causa da oportunidade de transporte oferecida pela Prefeitura”, reforça.

De olho nesse incentivo, Rhaí Araújo, 22 anos, aluno de educação física da Universidade Salgado de Oliveira, em São Gonçalo, investiu quase todo o dinheiro recebido após ficar desempregado na formação superior.

“Trabalhava em um setor administrativo, mas não gostava muito. Quando fui mandado embora, me vi perdido, pois tenho uma filha de dois anos e precisava de dinheiro. Aproveitei a experiência como ex-jogador de futebol e escolhi a faculdade de Educação Física. O transporte gratuito me ajuda muito. Já atuo com treinador funcional e sustento minha família. Sou muito grato pela vaga no ônibus, sem ela seria impossível cursar a universidade”, declara Rhaí.

Filha de carteiro e com mais três irmãos, Taís Lopes, 22 anos, sonhava em ser bióloga, e só pode realizar a sua vontade graças ao Ônibus Universitário:

“Estou muito feliz. Curso biologia marinha em Niterói, e só pude iniciar o curso graças ao ônibus. Meu pai ganha pouco, minha mãe é dona de casa, o dinheiro é contado. Mas agora sei que poderei realizar o meu sonho”, afirmou Taís.

Organização, amizades e algo mais

O serviço prestado pela Prefeitura conta com o apoio de 20 alunos voluntários que realizam a fiscalização de entrada e saída dos universitários nos ônibus. Segundo Thiago Thitow, os próprios estudantes se oferecem pra realizar o trabalho.

“O objetivo é manter a ordem, e quando algo fora do comum acontece, eles mesmos repreendem os colegas e resolvem”, afirma Thitow.

A convivência diária entre os alunos proporciona o início de amizades e, às vezes, algo mais. É o caso da aluna de direito da Universidade Salgado de Oliveira, em São Gonçalo, Mariana Policarpo, que encontrou o futuro noivo no ônibus da Prefeitura.

“Antes, ele era só meu amigo, mas com a convivência do dia a dia, vimos que tínhamos muito em comum. Já pensamos em noivar”, revela a estudante.

O benefício do Ônibus Universitário também ajudou o professor de química da rede estadual de ensino Alyson Cristian, 25 anos, a mudar de vida. Morador de um bairro pobre de Itaboraí, ele iniciou o curso contando com um pequeno salário e o Riocard que recebia do trabalho como entregador de farmácia. Com o tempo, os custos aumentaram. Quase abandonando o curso, ele conseguiu a vaga.

“O transporte me ajudou muito, com ele consegui terminar a minha faculdade. O universitário não tem só este gasto, mas também arca com despesas de cópias, livros, lanches, e aí o dinheiro vai embora”, diz ele.

Após o término da faculdade, Alyson trabalhou na área industrial, mas se encontrou de verdade como professor. Concursado do Governo do Estado, ele cursa a segunda faculdade, de Engenharia de Produção, e quer fazer mestrado em Química.

You may also like...

Deixe uma resposta