Ministério da Saúde atualiza casos de febre amarela

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério da Saúde notificou, até esta sexta-feira (03), 921 casos suspeitos de febre amarela. Do total, 702 casos permanecem em investigação, 161 foram confirmados e 58 descartados. Dos 150 óbitos notificados, 60 foram confirmados, 87 ainda são investigados e 3 foram descartados. Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Tocantins continuam com casos investigados e/ou confirmados.

Desde o início deste ano, o Ministério da Saúde tem enviado doses extras da vacina contra a febre amarela aos estados que estão registrando casos suspeitos da doença, além de outros localizados na divisa com áreas que tenham notificado casos.

No total, 8,2 milhões de doses extras foram enviadas para cinco estados: Minas Gerais (3,5 milhões), Espírito Santo (2 milhões), Bahia (900 mil), Rio de Janeiro (700 mil) e São Paulo (1,1 milhão). O quantitativo é um adicional às doses de rotina do Calendário Nacional de Vacinação, enviadas mensalmente aos estados, que totalizaram 650 mil no mês de janeiro.

Distribuição dos casos de febre amarela notificados até 3 de fevereiro, às 13h:

UFNotificadosEm investigaçãoConfirmadosDescartadosMunicípios
MG1

804

623

143

38

65

ES

76

60

14

2

19

BA

11

9

0

2

6

SP2

10

5

4

1

9

TO

4

1

0

3

3

UF do LPI em investigação3

4

4

0

0

Descartados por outras UF4

12

12

Total

921

702

161

58

102

1 Incluídos casos notificados pelas SES BA, ES, GO, SP, SC, PI e DF com LPI em MG.

2 Excluído caso notificado pela SES SP, pois o LPI do caso é em MG.

3 Incluídos casos notificados pelas SES SC, ES e AL com LPI em Investigação.

4 Incluídos casos descartados pelas SES GO, DF, AM e PA.


Distribuição dos óbitos de febre amarela notificados até 3 de fevereiro, às 13h:

UFNotificadosEm investigaçãoConfirmadosDescartadosMunicípios
MG1

130

77

53

0

35

ES

12

8

4

0

6

SP

3

0

3

0

3

BA

1

1

0

0

1

TO

1

1

0

0

1

Descartados  por outras UF2

3

0

3

Total

150

87

60

3

46

 

1 Incluídos óbitos notificados pelas SES BA, SP, ES e DF com LPI em MG.

2 Incluídos óbitos descartados pela SES GO e DF.

RECURSOS

O Ministério da Saúde está liberando R$ 40 milhões aos municípios mais afetados pela febre amarela no país. Desse total, R$ 13,8 milhões serão destinados aos 256 municípios de cinco estados, como incentivo à vacinação da população contra a doença. Os municípios estão localizados nos estados de Minas Gerais (MG), Espírito Santo (ES), Rio de Janeiro (RJ), Bahia (BA) e São Paulo (SP), que abrangem uma população estimada de 8,6 milhões de pessoas. O recurso foi definido a partir da estimativa da população a ser vacinada em cada município. O Ministério da Saúde também está adiantando outros R$ 26,3 milhões que representa 40% dos recursos de vigilância em saúde. Os valores deverão ser aplicados em ações de prevenção na área de vigilância para a febre amarela. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (02), pelo ministro da saúde, Ricardo Barros, em Brasília.

Além disso, o Ministério irá ressarcir os investimentos em infraestrutura para atendimento emergencial. A pasta custeará o aumento da assistência à febre amarela, como abertura de novos leitos clínicos, intensivos e semi-intensivos e atendimentos e serviços laboratoriais. Serão três meses de custeio, podendo ser renovados. Esse repasse será aprovado de acordo com a produção apresentada pelos gestores locais.

DUAS DOSES

A vacinação de rotina é ofertada em 19 estados do país com recomendação para imunização. Todas as pessoas que vivem nesses locais devem tomar duas doses da vacina ao longo da vida. Também precisam se vacinar, neste momento, pessoas que vão viajar ou vivem nas regiões que estão registrando casos da doença: leste de Minas Gerais, oeste do Espírito Santo, noroeste do Rio de Janeiro e oeste da Bahia. Não há necessidade de corrida aos postos de saúde, já que há doses suficientes para atender as regiões com recomendação de vacinação.

Confira as áreas com recomendação de vacinação neste momento:

You may also like...

Deixe uma resposta