Niterói ganha Centro Integrado de Segurança Pública

  •  
  • 88
  •  
  •  
    88
    Shares



O governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, inauguraram nesta segunda-feira (10/8) o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), no bairro de Piratininga, Região Oceânica de Niterói.

O CISP – que vai integrar as forças de segurança estaduais, federais e municipais, além do Corpo de Bombeiros, NitTrans e Defesa Civil – contará com 600 câmeras até o fim do ano, que farão monitoramento da cidade 24 horas por dia.

A implantação de sistemas de vigilância com câmeras para o combate à criminalidade tem sido uma opção cada vez mais usada pelos municípios fluminenses, em parceria com os governos federal e estadual.

– É fundamental o estado ter esse tipo de equipamento que Niterói está inaugurando. Temos feito parcerias na área de segurança pública com os municípios e estamos vendo os resultados em Três Rios e Volta Redonda, cidades que implantaram essa ferramenta, que possibilita uma grande integração com as polícias Militar e Civil e outras forças de segurança. Isso vem ajudando a reduzir os índices de homicídios, roubos de carros e furtos de pessoas na rua. São avanços significativos e Niterói larga na frente na Região Metropolitana. A Polícia Rodoviária Federal também tem nos ajudado muito. As ações da Operação Brasil Integrado tiveram um reflexo grande nas apreensões de armas, de drogas e sabemos que temos que fazer esse investimento em toda a Região Metropolitana do Rio – disse o governador.

A tecnologia de última geração da unidade de Niterói inclui, ainda, 80 botões de alerta instalados em escolas, estação das barcas, universidades e outros pontos considerados estratégicos para a ações rápidas entre as forças de segurança da cidade. Das 600 câmeras previstas, vão funcionar, inicialmente, 200 dispositivos de monitoramento. Do total de câmeras, 50 serão inteligentes, identificando placas de veículos que entrem ou circulem pela cidade, através dos cinco portais, também colocados em pontos de interesse para a segurança pública da cidade.

– Se não fosse essa união de esforços da Prefeitura com os governos federal e estadual, não conseguiríamos fazer o que estamos fazendo. Hoje é um dia histórico. O CISP é uma ferramenta estratégica para as forças policiais atuarem. Com ele, vamos atuar na prevenção e na elucidação dos crimes. Apesar de o CISP ter sido estruturado para atuar na segurança pública, ele também vai contribuir muito para o trânsito e a conservação – disse o prefeito Rodrigo Neves.

Carros da Polícia Militar e Guarda Municipal passarão a ter rastreadores com equipamentos georreferenciados com o objetivo de chegarem mais rápido aos locais de ocorrências. Através das câmeras, ocorrências em andamento ou mesmo alguma suspeita de delito serão captadas de imediato emitindo o sinal para a viatura que estiver mais próxima. A obra recebeu investimentos no valor de R$ 20 milhões, sendo R$ 3 milhões do governo federal.

– A segurança é o centro de todas as políticas públicas e a integração nesta área é muito importante. O CISP materializa isso, traz o benefício ao policial de usar cada vez menos a força e mais ações de inteligência. Acredito nesta política – explicou a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, que também defendeu as ações integradas dos três níveis de governo.

Reforço no interior fluminense

Na última sexta-feira (7/8), o Programa Nova Friburgo Cidade Inteligente foi inaugurado. O projeto consiste na implantação de uma rede de monitoramento urbano, que tem a meta de reduzir os índices de criminalidade e infrações de trânsito no município. As câmeras de monitoramento foram instaladas em diversos pontos e são consideradas de alto grau de sofisticação e recursos de imagens. A estrutura conta com 32 câmeras de alta precisão, e soma 25,5 quilômetros de rede de fibra ótica. O monitoramento acontece durante 24 horas por dia, de dentro da central de operações, que recebe as imagens com alta tecnologia dos pontos contemplados pelas câmeras. O projeto foi desenvolvido com recursos da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), vinculada à secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia.

Exemplo no interior

Volta Redonda, no Médio Paraíba, tem sido um exemplo de sucesso para outras cidades do interior desde que implantou o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), em junho de 2010. Com 140 câmeras espalhadas pela cidade, a unidade vem reduzindo a criminalidade anualmente.

O levantamento mensal do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostra que houve queda nos crimes violentos na região em 2015 em relação a 2014. Entre janeiro e junho deste ano, houve redução de 41,9% de homicídios dolosos, sendo 31 em 2014 e 18 em 2015. Já o indicador de Lesão Corporal Dolosa apresentou queda de 24,1%, de 573 casos para 435.

Além disso, o Ciosp de Volta Redonda inovou ao reunir no mesmo local todas as forças da segurança pública, como as polícias Militar e Civil, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, permitindo uma pronta reação às ocorrências captadas pelas câmeras e se tornando uma espécie de Gabinete de Gestão em Segurança.

Redução da criminalidade

A Central de Monitoramento de Três Rios, no Sul Fluminense, criada em 2011 com 47 câmeras, é exemplo da função de vigilância e prevenção do sistema no trabalho da polícia. Em abril deste ano, a Central auxiliou na prisão de foragidos da Justiça e de criminosos.

A unidade foi fundamental para que o 38º Batalhão de Polícia Militar (BPM) fosse premiado pelo programa do Governo do Estado de redução da criminalidade. O 38º BPM diminuiu em 50% o índice de letalidade violenta (homicídio doloso, latrocínio, homicídio decorrente de intervenção policial), 50% nos roubos de veículos e 33% nos roubos de rua (a transeuntes, em coletivo e de celular) no segundo semestre de 2014.

Na cidade de Resende, no Médio Paraíba, o novo sistema de monitoramento da cidade foi apresentado no último dia 25 de junho, durante reunião do Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública. No projeto, que já está em andamento na Prefeitura, o número de câmeras aumentará das atuais 29 para 50, e deverá contar ainda com cinco postos avançados de monitoramento (totens) nos bairros e oito câmeras que formarão o cinturão de segurança.

A previsão é de que o novo sistema entre em operação ainda neste segundo semestre. Os locais de implantação das novas câmeras atenderão também as indicações de vulnerabilidade encaminhadas pelas polícias Civil e Militar e pelo Corpo de Bombeiros.

You may also like...