Prefeitos farão ato pela conclusão das obras da refinaria do Comperj

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

conlestePrefeitos de 10 dos 15 municípios que compõem o Consórcio Intermunicipal do Leste Fluminense (Conleste) aprovaram nesta segunda-feira (03/08) a realização de um ato público, no próximo dia 24 de agosto, pela retomada das obras da refinaria (trem 1) do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que está com 82% das obras concluídas.

A decisão foi tomada pelos prefeitos que participaram do encontro que, entre outras definições, reelegeu Helil Cardozo para o segundo mandato na presidência do consórcio. Na ocasião, Helil leu uma carta lembrando recente anúncio da Petrobras de só incluir a refinaria nos planos da companhia para 2015-2019, se houver um parceiro da iniciativa privada interessado.

“É importante sensibilizar o Governo Federal e a Petrobras para esta situação que estamos vivendo. Nos planejamos para receber uma Ferrari e agora estamos sem gasolina. O Comperj foi descartado, que pelo menos seja construída a refinaria, é o mínimo que eles precisam se comprometer conosco para compensar esse passivo social e financeiro”, explicou Helil Cardozo aos prefeitos.

O Conleste tem agora como vice-presidente a prefeita de Rio Bonito, Solange Almeida. Na ocasião, também foi eleita a nova diretoria da Agência de Desenvolvimento do órgão (AD-Leste), que passa a ter como presidente o prefeito Valber de Carvalho. A vice-presidência ficou com Rogério Cabral, prefeito de Friburgo.

O prefeito de Magé, Nestor Vidal, ressaltou a confiança do grupo em Helil Cardozo, justificando sua reeleição. “O Conleste é um grupo de prefeitos resistente. Helil tem sido uma grande liderança, presente e sempre à disposição. Por isso, estamos juntos em defesa da nossa região”.

A realização do ato foi aprovada por unanimidade entre os prefeitos presentes. Além de Helil Cardozo, participaram do encontro os prefeitos de Saquarema, Francine Motta; Cachoeiras de Macau, Cica Machado; Nova Friburgo, Rogério Cabral; Teresópolis, Arlei Rosa; Guapimirim, Marco Aurélio; Magé, Nestor Vidal; Rio Bonito, Solange Almeida; Tanguá, Valber de Carvalho, e Silva Jardim, Tião Rocha (em exercício). O município de Niterói enviou seu subsecretário executivo, Braz Colombo.

Segue abaixo a íntegra da carta lida na reunião do Conleste:

ATO PELA CONCLUSÃO DA REFINARIA DO COMPERJ

Recentemente, a Petrobras descartou de vez a inclusão do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro, o Comperj, nos planos de investimentos da companhia de 2015 a 2019.

Anunciou que poderá terminar apenas uma refinaria das quatro unidades inicialmente previstas. Mas somente no caso de surgir um parceiro da iniciativa privada disposto a se associar ao investimento.

A Petrobras já gastou R$ 8,6 bilhões na construção desta refinaria, cujas obras já estão 82% concluídas. Se não aparecer um parceiro (possibilidade remota dentro do cenário de instabilidade política e econômica que vivemos), não serão apenas R$ 8,6 bilhões perdidos. Serão milhares de vidas e toda a economia da nossa região comprometidas.

Uma refinaria é muito menos do que o anunciado Complexo Petroquímico, é verdade. Mas uma refinaria não é pouca coisa. O município de Duque de Caxias, segunda maior economia do estado, sede da Reduc, está aí para provar.

Já fizemos o que poderíamos fazer para gerir o impacto da crise da Petrobras e da queda da arrecadação em nossas cidades. Cortamos despesas, reduzimos salários, demitimos pessoal, enxugamos contratos, deixamos de fazer investimentos. Mas milagre só Deus.
Pois o fato é que desde que o ex-presidente Lula anunciou que um novo Eldorado surgiria na nossa Região, começou a Corrida do Ouro.

Vimos chegar empreendimentos que jamais sonhamos. Hotéis, centros comerciais, condomínios de casas de luxo, apart hotéis, shopping center. Mas junto, a população cresceu, a violência aumentou, e a demanda por mais e melhores serviços explodiu. Tivemos que prover mais Saúde, mais Educação, moradia, água, asfalto, saneamento, lazer.
No meio do caminho, porém, a Ferrari virou fusca. A carruagem virou abóbora. E agora vem a Petrobras e nos dá a noticia de que corremos o risco de não termos nem mais o combustível da Refinaria que, repito, está 82% pronta.

E o que fazer? Enviar de volta todos aqueles que vieram para nossas cidades apostando no sonho? Dizer que a culpa foi da Dilma e do Lula, da roubalheira na Petrobras, dos imensos erros econômicos cometidos por um governo populista e lavar as mãos?

Não, não acho que seja hora de lavar as mãos, mas de dar as mãos.

A Petrobras e o Governo têm uma responsabilidade social que não pode ser ignorada. Precisam ser cobrados pelo mal que fizeram a tanta gente e reparar pelo menos parte dos danos que cometeram.

Por isso, convido a todos a lutar para que pelo menos esta refinaria semi-pronta seja terminada com ou sem parceiro privado. Que não vire cenário de filme de ficção nem ruínas históricas de um governo irresponsável. Muito dinheiro já foi gasto. Muitos sonhos dilapidados.

Vamos juntar trabalhadores, empresários, funcionários, moradores e lideranças das nossas cidades e mostrar que estamos todos juntos nesta luta. Se a realidade é que o Comperj só existiu na propaganda do PT, que seja então concluída pelo menos a nossa refinaria.

Muito obrigado.

Helil Cardozo
Prefeito de Itaboraí e presidente do Conleste

You may also like...

Deixe uma resposta