Procon descarta mais de 700kg de alimentos em filias do Extra de São Gonçalo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Divulgação

O Procon Estadual realizou, nesta sexta-feira (19/05), uma nova etapa da Operação Secos e Molhados, que desta vez vistoriou duas filiais do supermercado Extra, em São Gonçalo, a pedido do Ministério Público Estadual. Os dois supermercados apresentaram irregularidades e foram autuados. A fiscalização descartou, no total, 735kg e 700g de produtos impróprios para o consumo.

Os problemas que se repetiram nos dois supermercados fiscalizados foram: a manipulação direta de salgados e peixes pelo consumidor, a existência de baratas no local e produtos sem especificação do prazo de validade. No Extra da Avenida Presidente Kennedy, 429, Centro, a fiscalização descartou 581kg e 500g de alimentos sem o prazo de vencimento. Entre eles: 230kg e 500g de peixes diversos (destes, havia 91kg de peças de bacalhau e 19kg e 500g de bacalhau desfiado), 87kg de costela, 68kg de lagarto, 57kg de linguiça calabresa, 43kg e 500g de ponta de agulha, 32kg de rabo, 22kg e 500g de bacon, 18kg de linguiça fina, 13kg de orelha, 12kg de garganta e 10kg de paio. Além disso, a câmara frigorífica do estabelecimento estava com a borracha de vedação solta, portas quebradas e com produtos armazenados em paletes de madeira, contrariando o que determina a Lei. A fiscalização deu o prazo de 15 dias para adequação, com a correção destas irregularidades, sob pena de interdição. A bancada de frangos congelados estava com tampa quebrada. Os fiscais determinaram a retirada dos produtos até a adequação da bancada.

Já na filial do Extra localizado na Avenida São Gonçalo, 100, Boa Vista, os fiscais encontraram outros 121kg de produtos sem especificação da validade e com manipulação direta pelo consumidor. Entre eles: 32kg e 600g de carne seca, 23kg e 500g de linguiça calabresa, 16kg e 200g de bacon, 12kg e 600g de pé suíno, 11kg e 800g de lombo suíno, 10kg e 800g de garganta suína, 9kg e 500g de orelha suína, 5kg e 400g de constela, 5kg de paio e 3kg de linguiça suína. Outros 10kg e 600g de carne suína exposta em bandeja para venda e 1kg e 200g de massa para pizza vencida foram descartados. Ainda no estabelecimento, a fiscalização constatou que na câmara frigorífica havia poças de água e paletes de madeira. Os fiscais deram o prazo de 15 dias para adequação do espaço, sob pena de interdição. Na área de vendas havia peixes expostos em bancadas de gelo, por esse motivo a fiscalização determinou a colocação de anteparos,para evitar a sua manipulação direta pelo consumidor.

Devido as baratas encontradas nos dois estabelecimentos, os fiscais determinaram o reforço na dedetização com a comprovação desta ação junto ao Procon-RJ.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *