Rodada do Brasileirão tem Fla arrasador no clássico diante do Flu e Vasco agonizando rumo à Série B

flamengo Polêmicas de arbitragem à parte, o Flamengo dominou o Fluminense, principalmente no primeiro tempo, tanto que o primeiro chute do Tricolor saiu aos 45 minutos do primeiro tempo. O Rubro-Negro poderia terminar a primeira etapa vencendo por quatro gols ou mais.

Enderson Moreira inventou, ou não. Vou explicar: ele sacou Marcos Júnior e Edson, não colocou Wellington Paulista e veio com: Pierre, Michael e o jovem Douglas fazendo sua estreia. Acho que facilitou as coisas para o Flamengo com um time desentrosado, ficou com a defesa exposta e o ataque inoperante e o primeiro tempo terminou 2 a 0 para o Rubro-Negro, gols de Emerson e Kayke.

Na segunda etapa o Fla diminuiu o ritmo e o Flu tentou pressionar. A entrada de Marcos Júnior (inexplicavelmente no banco) melhorou o Flu, mas não assustou muito ao Fla, que continuou perdendo gols nos contra ataques. Num cruzamento de Marcos Júnior, Samir infantilmente segurou Michael na área: pênalti que Jean converteu para diminuir.

A torcida do Tricolor tentou empurrar o time, mas o Fla, sempre superior, conseguiu o terceiro gol com Paulinho de cabeça dando números finais ao clássico: 3 a 1. Volta a pergunta: Enderson inventou? Sim ou não, a pergunta fica no ar, mas estranhamente o Marcos Júnior ficou no banco junto com Edson e Wellington Paulista que é o reserva imediato do Fred. Mais estranho ainda o R10 que não “estreou” ainda, estava relacionado, foi pro estádio e no teste de vestiário, constatou-se uma “virose”. Se você tem virose não existe teste de vestiário… aguardamos os próximos dias.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Wellington Silva. Gum, Henrique e Gustavo Scarpa; Pierre (Marcos Júnior – Intervalo), Jean, Douglas e Cícero; Osvaldo (Gerson – 31’/2ºT) e Michael (Wellington Paulista – 35’/2ºT) – TÉCNICO: Enderson Moreira

FLAMENGO: Paulo Victor, Pará, Samir, Wallace (César Martins – 31’/2ºT) , Armero (Paulinho – Intervalo); Márcio Araújo (Jonas – 39’/2ºT), Canteros, Alan Patrick e Everton; Emerson Sheik e Kayke – TÉCNICO: Oswaldo Oliveira

Vasco luta até o fim, mas perde para o Atlético Mineiro no Maracanã

Quando o Vasco tomou 5 gols do Friburguense no inicio do ano pelo campeonato carioca, já se notava que algo não estava certo, mesmo com 3 pênaltis a seu favor o Vasco não conseguiu vencer o Frizão. Ali, naquele momento, diretoria e comissão técnica, deveria ter tomado alguma atitude que realmente não sei qual, mas tudo indicava o que estava por vir, como veio. O Vasco foi campeão carioca, aos trancos e barrancos (não vou colocar em cheque arbitragem) e isso por incrível que pareça foi ruim, pois maquiou o que estava errado no Vasco, mas o Brasileirão não perdoa e nem maquia esses erros.

VASCOXGALOO clube que tem o maior artilheiro da história do brasileiro – Roberto Dinamite que fez 181 gols pelo vasco, tem também o jogador que mais fez gols em uma partida, Edmundo: seis contra o União São João de Araras, que ironia lembrar desse número, e ainda, o clube que mais teve artilheiros do Campeonato Brasileiro. Com esses números todos, vi sua torcida, dirigentes, jogadores comemorarem um gol de pênalti de Nenê no final do jogo, como se fosse um gol de título. Pouco, muito pouco para o Gigante da Colina de grandes artilheiros.

O jogo, o que dizer, o Vasco que tomou aquele vergonhoso 6 a 0, entrou no jogo com muita disposição, tentou encarar o Galo de igual para igual e até conseguiu, mesmo tomando um gol cedo aos quatro minutos, pênalti que Lucas Pratto bateu e converteu.

O Vasco foi pra cima e perdeu muitas chances de gols, e no final do primeiro tempo tomou o segundo gol, num lindo chute de Dátolo. Na segunda etapa o jogo foi morno, o Galo começou a tocar e valorizar a posse de bola, o que dificultou muito as ações do Vasco, até que num lançamento de Andrezinho que entrou bem, Bruno Ferreira foi derrubado na área e Nenê converteu o pênalti. E o Vasco encerrou o jejum de 725 minutos no Brasileiro sem marcar, mas na realidade não adiantou muito, pois o Cruz-Maltino perdeu mais uma: 2 a 1.

VASCO: Jordi, Bruno Ferreira, Rodrigo, Luan e Christianno; Diguinho, Lucas (Felipe Seymour), Julio dos Santos (Andrezinho) e Nenê; Jorge Henrique (Rafael Silva) e Leandrão. Treinador: Jorginho.

ATLÉTICO MINEIRO: Victor, Patric, Leonardo Silva, Edcarlos e Pedro Botelho; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Giovanni Augusto (Dodô) e Dátolo; Thiago Ribeiro (Cárdenas) e Lucas Pratto. Treinador: Levir Culpi.

Botafogo mostra força

E o Fogão parece, que enfim despertou, venceu mais uma, dessa vez o Vitória fora de casa, confirmando a liderança da Série B, num jogo emocionante em que Sassá brilhou. O Bota mostrou força ao conseguir arrancar a Vitória no minuto final: 2 a 1.

Outros resultados

São Paulo 2 x 0 Internacional; Atlético PR 0 x 0 Joinville; Cruzeiro 5 x 1 Figueirense; Chapecoense 0 x 0 Ponte Preta; Palmeiras 3 x 3 Corinthians; Grêmio 2 x 1 Goiás; Avaí 0 x 2 Coritiba; Sport 1 x 1 Santos.

CLASSIFICAÇÃO SÉRIE A – Primeiro Turno

Carregando…

Tabela do Brasileirão

Amigos, toda segunda-feira eu estarei aqui expondo o meu ponto de vista sobre os times cariocas no maior campeonato de futebol do mundo, o Brasileirão. Conto com sua atenção. Pode nos enviar sugestões, críticas e reclamações: redacao@correiodacidadeonline.com.br

Grande abraço!

Key Campos


A opinião contida neste artigo é de inteira responsabilidade do seu autor. O seu conteúdo não expressa necessariamente a opinião do Correio da Cidade Online.

You may also like...