Mais de três mil bebês nasceram na maternidade Luiz Palmier este ano

  •  
  •  
  •  
  •  



maternidade2Uma das primeiras unidades a integrar o Programa de Humanização do Atendimento adotado pela secretaria de Saúde de São Gonçalo, a maternidade do Hospital Municipal Luiz Palmier, no bairro Zé Garoto, realizou 3.614 partos este ano. O número representa quase 100% do total registrado durante todo o ano de 2015 e é o maior desde 2012. No mesmo período, a média mensal de nascimentos saltou de 150 para 400.

“Há quatro anos, quando assumimos, realizávamos 1.880 partos no ano. Ano passado, tivemos 3.615 durante todo o ano e fechamos setembro com a mesma marca. Estamos assistindo ao crescimento da demanda ano após ano e ficamos felizes em poder, na hora da alta, ver a família sair bem e com a certeza de que recebeu um atendimento digno, como deve ser”, afirma a diretora da maternidade, Marta Belleza.

Nos últimos anos, a maternidade municipal passou por obras de ampliação, ganhando novos consultórios e espaços especializados, além de receber serviços e melhorias que tornaram o atendimento mais humanizado, entre eles o cegonha móvel – veículo que transporta as gestantes da rua até a porta da unidade, localizada em um plano inclinado. Essas mudanças e a crise das unidades de saúde do estado tornaram a maternidade uma referência de atendimento no Leste Fluminense. Apesar da maior parte dos pacientes ser moradores de São Gonçalo, a maternidade recebe regularmente mulheres de municípios vizinhos e até da Baixada Fluminense, entre eles Guapimirim, Itaboraí, Magé, Maricá, Niterói, Queimados e Tanguá.

“Na minha cidade não consigo atendimento. Fiz todo o meu pré-natal em São Gonçalo, no Espaço Rosa, e agora vim ter o meu bebê. Graças a Deus, encontrei um ótimo atendimento. Provavelmente, voltarei aqui para tratar meu filho”, afirmou Luzia Maria Ramos, de 30 anos, moradora de Itaboraí e mãe do pequeno Lian.

Marinete de Farias Fraga, 37 anos, moradora de Neves, deu à luz Ana Alice e também elogiou o atendimento.

“Eu tenho gravidez de risco, já perdi três gestações e me senti muito bem acolhida e segura na Maternidade do Hospital Luiz Palmier. Os enfermeiros, os médicos, a assistente social foram todos muito atenciosos. Estou muito satisfeita. Desde a chegada, a gente é bem atendida. Eu usei o carrinho (cegonha móvel) e como tenho pressão alta, fez toda a diferença porque não precisei caminhar. É um hospital público que funciona muito bem. Estive lá, vi tudo de perto e sei o que estou falando”, disse.

You may also like...