A cada 12 minutos uma mulher é vítima de agressão física no Rio

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Instituto de Segurança Pública (ISP), da Secretaria de Segurança, divulgou dados inéditos sobre a violência contra às mulheres. Segundo a pesquisa do ISP, no Estado do Rio de Janeiro, em 2016, duas mulheres por dia procuraram uma delegacia para fazer registro de assédio, a cada 12 minutos uma mulher foi vítima de agressão física e 64% das vítimas de agressão eram mulheres. O estudo mostra ainda a importância dos diversos canais de atendimento disponíveis para as vítimas.

Ações pioneiras como a criação do Dossiê Mulher – idealizado há 12 anos pelo ISP –, das Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (DEAMs), dos Núcleos de Atendimento às Mulheres (NUAMs), de equipes denominadas “Guardiões da Vida” em batalhões do interior, além do aplicativo da Polícia Civil Emergência RJ, marca a data, que este ano ganha destaque nas redes sociais em campanhas que enaltecem mulheres e servem de alerta.

– Através destes números, podemos entender a magnitude deste problema, que assombra a sociedade brasileira. É preciso conscientizar a população e demandar políticas que venham a reduzir as agressões. Buscamos com o Dossiê Mulher chamar a atenção para este segmento, que revela mulheres vitimizadas, muitas vezes, por seus próprios parceiros – explicou a diretora-presidente do Instituto de Segurança Pública, Joana Monteiro.

Para o secretário de Segurança, Roberto Sá, a violência contra à mulher é uma questão que merece acompanhamento contínuo.

– Nesse Dia Internacional da Mulher, o nosso agradecimento às policiais civis e militares que, em suas mais diferentes funções, superam diariamente o preconceito e dão inúmeras demonstrações de capacidade de resolver casos, protagonizar atos de bravura e, principalmente, de solidariedade com o próximo. Que nesse dia mundial toda a sociedade reflita sobre o respeito que devemos às mulheres em todo o planeta – ressaltou o secretário.

Os dados do ISP estão nos cards exibidos no twitter da Segurança (twitter.com/SegurancaRJ). Os sete cards são trabalhados nos tons rosa e lilás numa referência direta ao público feminino e que incluem as hashtags #RespeiteaMulher e #CidadãoConsciente. Alguns enfatizam os dados e levam a uma reflexão, enquanto outros indicam os canais de denúncia e valorizam mulheres que integram o núcleo de Segurança do Rio.

Dossiê alerta sobre principais crimes contra o público feminino

O Dossiê Mulher traz informações relativas à violência contra a mulher no Estado do Rio de Janeiro. O relatório aborda os principais crimes que milhares de mulheres sofrem cotidianamente, como lesão corporal dolosa, ameaça, assédio sexual, atentado violento ao pudor, estupro, homicídio doloso e violência doméstica.

O documento é lançado anualmente pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), visando contribuir com o aumento da visibilidade deste tipo de violência, ressaltando a importância do combate desses delitos para sociedade brasileira.

Aplicativo Emergência RJ

Outro projeto da Secretaria de Segurança foi a criação, no segundo semestre de 2016, do aplicativo Emergência RJ. O App oferece atendimento instantâneo em serviços emergenciais, servindo também de importante instrumento de denúncias de violência contra às mulheres. O projeto-piloto amplia o atendimento ao serviço 190, beneficiando moradores da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Tendência internacional que une tecnologia e agilidade, o aplicativo permite, com poucos cliques, fazer denúncia, de forma confiável e gratuita, sem precisar dizer uma única palavra, facilitando assim o contato de mulheres que se sintam ameaçadas.

You may also like...

5 Responses

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *