Número de atendimento no PSC de São Gonçalo volta a subir nos primeiros dias do ano

  •  
  • 29
  •  
  •  
    29
    Shares

PSC SGMais de mil atendimentos e 92% dos leitos ocupados. O primeiro fim de semana do ano foi bastante movimento no Pronto Socorro Central (PSC), no bairro Zé Garoto. De acordo com a diretora da unidade, Ana Paula Silva, 1875 pessoas procuraram o PSC de sexta a domingo, o que representa um aumento de mais de 100% da demanda, levando-se em conta que a média é de 320 atendimentos por dia.

A procura pela unidade de saúde do município vem aumentando desde meados de dezembro quando foi deflagrada a crise nos hospitais e clínicas da rede estadual. Desde a véspera do Natal, o PSC não atende menos de 400 pessoas diariamente. No dia 24 de dezembro foram 474 atendimentos; no dia 25, 540; dia 26 ,640; dia 27, 613; dia 28, 833; dia 29, 732; dia 30, 644; dia 31, 412. O número de pacientes continuou a subir com a chegada de 2016: em 1/1/2016 foram atendidas 487 pessoas, em 2/01, 619 e em 3/1, 669 pacientes.

A estudante Larissa Jorge de Andrade, de 18 anos, esteve na unidade na manhã de sábado acompanhada pela mãe, a vendedora Luzia Andrade. Moradoras do Colubandê, elas contaram que costumavam utilizar os serviços da UPA de seu bairro. Larissa estava com dores no seio da face há dois dias, suspeitando ser crise de sinusite.

“Não conseguimos atendimento no Colubandê e resolvemos procurar o Pronto Socorro. Agora, estamos só aguardando o médico chamar. Também estou com uma tia internada aqui. O Pronto Socorro tem sido a nossa salvação”, comentou Dona Luzia.

O crescimento da demanda levou a secretaria municipal de Saúde a aumentar em 80% os gastos com materiais e medicamentos e a realizar pequenas obras na unidade. O almoxarifado e a farmácia, por exemplo, foram transformadas em salas de medicação; a sala de triagem está sendo ampliada e novas enfermarias serão abertas.

“Atualmente somos o único hospital de grande porte da rede de urgência e emergência atendendo a demanda direta, sem passar pela Central de
Regulação, em São Gonçalo. Isso tem nos deixado sobrecarregados, estamos vivendo um momento difícil mas estamos fazendo de tudo para não deixar de atender ninguém”, afirmou Ana Paula.

You may also like...