Reforço de 100 PMs em Niterói integrará CIPP de Santa Rosa

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A partir da próxima semana, os 100 policiais militares que chegaram para reforçar a segurança na cidade vão iniciar um curso para a implantação da Companhia Integrada de Policiamento e Proximidade (CIPP), no bairro de Santa Rosa, na Zona Sul de Niterói.

O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (24/4) durante uma reunião entre o prefeito e o chefe do Estado-Maior da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Róbson Rodrigues.

O coronel Róbson explicou que os policiais iniciarão o curso na próxima terça-feira (28/4) com a Guarda Municipal e depois disso, o serviço entrará em funcionamento, sendo aperfeiçoado durante o tempo. A CIPP terá uma sede fixa, que será construída pela Prefeitura no bairro do Vital Brazil.

Inspirada no atendimento já prestado pelas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), as CIPPs asseguram maior transparência à atividade policial, mais agilidade no atendimento à população e proatividade na resolução de conflitos, buscando reduzir os índices de criminalidade. O novo serviço vai adotar também práticas de prevenção e resolução de conflitos. Cada companhia terá um comandante responsável por gerenciar indicadores de criminalidade e atender à comunidade, resgatando, com isso, a figura do “policial de quarteirão”, conferindo familiaridade entre polícia e população. O modelo já existe na região da Grande Tijuca, na Zona Norte da capital.

O chefe do Executivo municipal destacou a importância da iniciativa para a cidade.

” Eu acredito que esse modelo da CIPP que tem Niterói como projeto-piloto será bem sucedido como modelo de integração de forças e de melhoria da performance da ação policial no território. Isso é muito importante para Niterói, pra devolver a sensação de segurança para a população. Mas eu acredito que é bom e importante também para o governo estadual porque esse modelo poderá ser replicado através de uma ação integrada da Secretaria de Segurança com as prefeituras”, opinou.

O chefe do Estado-Maior da PM informou que Niterói terá um projeto-piloto da CIPP que poderá se expandir para outros locais e haverá integração com a Guarda Municipal.

“A ideia é agregar toda tecnologia e protocolo para que o policiamento integrado com a Guarda Municipal possa atender as demandas da segurança pública. Estamos trazendo experiências da Colômbia, de cidades como Bogotá, e da polícia chilena, que possuem práticas similares e tiveram êxito. Esperamos que, com o tempo, como já aconteceu na Tijuca, a população fique satisfeita, que participe mais com a Polícia Militar e a Guarda Municipal, e que a iniciativa resulte na redução dos índices de criminalidade. Niterói vai receber um modelo de CIPP muito mais aperfeiçoado do que foi no início na Tijuca”, explicou.

O coronel Róbson explicou a forma de atuação dos policiais.

“Teremos a possibilidade de dividir o efetivo por setores censitários, que é a base territorial utilizada pelo IBGE, que tem bases valiosas para o planejamento do policiamento. Vamos ter as informações sócio-econômicas como também as criminais. Recebendo essas informações, junto com as demandas da população, os policiais terão uma metodologia específica para o policiamento, orientada para o problema. Com isso, terão a chance de realizar ações mais efetivas. Não será simplesmente colocar policiamento e sim policiamento com qualidade. Quando voce divide essa área em espaços menores, você tem condições de acompanhar, monitorar e avaliar a atuação desses policiais de uma forma mais eficiente”, salientou.

O comandante do 12º BPM, tenente-coronel Gílson Chagas, disse que a parceria entre a Prefeitura de Niterói e a Polícia Militar a cada dia se consolida.
“A parceria entre a Prefeitura e os órgãos de segurança pública é impar. E quem ganha com isso é a população. Essa integração é excelente e ajuda a melhorar a segurança pública”, disse

O tenente-coronel Mauro de Andrade, do comando gestor das CIPPs, a ideia é que o policial conheça toda a demanda do seu espaço territorial.

“Eles farão reuniões periódicas, visitas preventivas em locais específicos, tipo escolas, bancos, tudo que for de interesse da segurança pública. Desta forma, ele vai se envolvendo com a dinâmica do setor dele e atuando para diminuir os indicadores criminais. Ele terá um telefone em que as pessoas possam fazer contato, um cartão individual que vai distribuir na região. Os policiais vão trabalhar de domingo a domingo, com folgas, com horário de expediente variando de acordo com as necessidades. Flexibilidade é a palavra”, afirmou.

Câmeras do Cisp

Outro assunto que entrou na pauta da reunião foi o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), previsto para ser inaugurado ainda neste semestre.

O prefeito conversou com o coronel Róbson Rodrigues sobre a implantação das câmeras que serão implantadas em todas as entradas de Niterói. Segundo ele, os equipamentos terão sistemas de portais com identificação de placas de veículos que entram na cidade. Com isso, de acordo com o chefe do Executivo municipal, em tempo real, os carros da Polícia Militar vão poder atuar nos casos identificados pelo sistema de monitoramento.

“A segurança pública é atribuição do governo estadual. Mas os municípios devem cobrar e cooperar. Estamos desde o início da nossa gestão cobrando mais efetivos para PM em Niterói. Mas nós saímos de uma época em que simplesmente responsabilizavam o governo estadual pelos problemas sem cooperar. Desde o primeiro dia da nova gestão, nós investimos mais de R$ 20 milhões em ações de segurança pública, companhias destacadas, Delegacia de Homicídios, reabertura de cabines e a implantação do Cisp”, disse.

Participaram também da reunião o comandante do 12º BM, tenente-coronel Gílson Chagas, o chefe do Centro de Estudos do Esdado Maior da PM, tenente-coronel Márcimarães io Gue os secretários municipais de Ordem Pública, Marcus Jardim, e de Obras, Domício Mascarenhas.

You may also like...

Deixe uma resposta