TransOceânica: frente de obras do lado de Charitas começa nesta quinta-feira

  •  
  • 15
  •  
  •  
    15
    Shares

trans2O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e o secretário estadual de Transporte, Carlos Roberto Osório visitaram na manhã desta quarta-feira (07/10) as obras do túnel Charitas-Cafubá, que integram a TransOceânica.

Durante a visita, o chefe do Executivo municipal anunciou que nesta quinta-feira (08/10) serão iniciadas a montagem do canteiro de obras e a demolição de casas desapropriadas no lado de Charitas.

O prefeito informou também que, até a primeira quinzena de novembro, estará concluído o lado direito do trecho 8, que vai da Padaria Versailles até o Engenho do Mato, com o recapeamento da pista, sistema de drenagem e o corredor do BHLS. Após isso, será feito o lado esquerdo.

Ainda na primeira quinzena de novembro, Rodrigo Neves disse serão iniciados os trabalhos do trecho 4, que vai do DPO até a rotatória do Cafubá. Para isso, segundo ele, até o fim de outubro, a macrodrenagem da avenida 6 chegará ao DPO. Essa intervenção, que é fundamental para o começo do trecho 4 da TransOceânica, integra o programa Bairro Melhor que está recuperando ruas no Cafubá.

O prefeito afirmou que, até novembro, cerca de 250 metros do túnel deverá estar perfurados. Ele disse estão sendo feitas três detonações por dia, cada uma perfura de seis a sete metros de rocha. Segundo ele, a meta é que até o segundo semestre do ano que vem, o túnel já esteja todo perfurado.

“O cronograma está sendo cumprido. A obra está seguindo um ritmo ainda mais intenso. Mais do que uma obra viária, a TransOceânica é um projeto de mobilidade, com um BRT mais evoluído, o BHLS. É um sonho que está se concretizando. Tudo isso só foi possível graças ao planejamento e organização das contas públicas que permite continuar com os investimentos e pela parceria com o Estado e o governo federal. A Região Oceânica é uma das regiões mais bonitas de Niterói e do Estado do Rio de Janeiro e vem recebendo grandes investimentos, como o Cisp e obras de infraestrutura”, disse.

trans1Rodrigo Neves reiterou que está em entendimentos com o governo estadual para ampliar a capacidade de transporte da estação hidroviária de Charitas e que se crie uma tarifa mais acessível. Segundo ele, o entorno do terminal está recebendo investimentos, como a garagem subterrânea.

O secretário Osório afirmou que a obra da TransOceânica é estratégica para o sistema de mobilidade urbana da região metropolitana fluminense.

“Essa obra é estratégica. É um projeto antigo, sonho de muitas décadas. Vai facilitar o deslocamento de moradores da Região Oceânica com a Zona Sul de Niterói bem como a conexão com o Rio de Janeiro. O governo estadual estará sempre presente para ajudar. Faremos estudos para aumentar a capacidade de recepção de passageiros das barcas em Charitas e melhorias na estação da Praça Araribóia. Niterói está tendo um papel exemplar. Está demostrando ao Rio e o Brasil que, quando se tem vontade de fazer, dá para fazer. A TransOceânica é uma prioridade para Niterói e para a região metropolitana”, declarou.

A obra

A TransOceânica será uma via expressa de 9,3 quilômetros de extensão, e vai atender diretamente 11 bairros da Região Oceânica de Niterói. A previsão é de transportar cerca de 80 mil pessoas por dia. A primeira etapa é a construção do túnel. A obra completa ficará pronta em 24 meses.

A via contará com ônibus no sistema BHLS (Bus of High Level of Service), o primeiro implantado na América do Sul, equipados com ar-condicionado e com portas de ambos os lados. Pelo sistema, os passageiros poderão embarcar nos veículos em seus próprios bairros. Em seguida, os ônibus entrarão na faixa exclusiva do BHLS.

O ônibus fará o percurso do Engenho do Mato até Charitas em 25 minutos, passando por 13 estações e pelo túnel, que não terá cobrança de pedágio. O corredor viário também contará com ciclovia.

O investimento total da obra é de R$ 310.894.585,00, com recursos do governo federal e da Prefeitura de Niterói.

You may also like...