Doenças de pele no verão: quais são e como tratá-las

  •  
  • 9
  •  
  •  
    9
    Shares

O contato com muitas pessoas em praias ou clubes e o consumo de alimentos em locais de lazer compõe a lista de fatores de risco para contrair uma doença de pele.

De acordo com o dermatologista Anderson Bertolini (CRM-107976), diretor médico da Clínica Bertolini, as temperaturas elevadas e a umidade são alguns dos cenários propícios para o surgimento das doenças de pele no verão. A exposição excessiva ao sol pode provocar coceira e ardência, seguida por alterações na pele como pequenas bolhas, descamação, vermelhidão e fissuras. “O calor e o aumento da transpiração proporcionam o desenvolvimento de fungos e bactérias, que aproveitam as condições favoráveis para se reproduzir e desencadear um processo infeccioso na pele”, explica.


O contato com muitas pessoas em praias ou clubes e o consumo de alimentos em locais de lazer compõe a lista de fatores de risco para contrair uma doença de pele. “O verão exige cuidados específicos para prevenir o contágio de fungos e bactérias e garantir que a diversão não acabe mais cedo”, afirma o dermatologista.

Vilãs do verão

As doenças de pele que mais aparecem nessa época são: Pitiríase versicolor, Acne Solar, Impetigo, Foliculite, Herpes Labial, Larvas Migrans (Bicho Geográfico), Miliária (Brotejo), Fitofotomelanose e Tinea cruris (micose da virilha). Bertolini explica como tratar cada uma delas:

Pitríase Versicolor

O causador da pitiríase versicolor é o fungo Ptyrosporum ovale, que surge quando a pele fica exposta ao sol por muito tempo. “São manchas brancas, vermelhas ou acastanhadas, recobertas por discreta descamação. É possível nota-la quando não ocorre um bronzeamento da pele e ao redor fica perceptível uma mancha branca”, acrescenta o dermatologista. Normalmente, surge em pele mais oleosa e as áreas mais atingidas são a face, o couro cabeludo, o pescoço e a porção superior do tronco.

Como evitar?

Para evita-la, não ande descalço em pisos úmidos ou públicos e não use roupas e toalhas de outras pessoas. Este tipo de micose responde bem ao tratamento que, pode ser feito com medicamentos via oral (comprimidos) ou local (sabonetes, xampus, loções, sprays ou cremes), dependendo do grau de comprometimento da pele.

Acne Solar

Durante o verão, a oleosidade da pele aumenta e favorece o surgimento de acne. A exposição excessiva ao sol forma na pele uma lesão semelhantes a pequenas ‘bolinhas endurecidas’ e pustulosas ‘bolhas de pus’, sendo algumas doloridas e avermelhadas devido à inflamação.

Como tratar?

A acne solar pode ser evitada com a utilização de filtros solares, de preferência, aqueles em base não oleosa, aplicados antes e durante a exposição ao sol.

Impetigo

É uma infecção bacteriana da pele causada pelo estafilococo e estreptococos. A doença caracteriza-se pelo surgimento de bolhas com pus que rapidamente se rompem. As lesões podem evoluir espontaneamente e, muitas vezes, propagam-se em regiões próximas formando novas lesões. É possível notar as bolhas em locais onde existe dobra da pele. “A infecção ocorre por meio de lesões cutâneas, como picadas de inseto, arranhões ou cortes preexistentes em alguma região do corpo. Roupas e toalhas também podem ser via de transmissão”, esclarece o médico.

Como evitar?

O ideal é lavar a roupa em água fervente e não mexer nas feridas. Manter bons hábitos de higiene como lavar as mãos e não usar toalhas e roupas de pessoas diferentes é fundamental para prevenir a doença.

Foliculite

Infecção dos folículos pilosos causadas por bactérias do tipo estafilococos pode ocorrer espontaneamente pelo excesso de umidade ou suor, raspagem dos pelos ou depilação. Atinge crianças e adultos podendo surgir em qualquer lugar do corpo, principalmente nas regiões em que existem pelos. A foliculite caracteriza-se pela formação de pequenas bolhinhas de pus centradas por pelo com discreta vermelhidão ao redor.

Como evitar?

Evite usar roupas de fibras sintéticas e apertadas, pois elas favorecem a sudorese e a proliferação de bactérias. A dica é conservar a pele limpa e higienizada.

Herpes Labial

O herpes é uma infecção causada pelo Herpes simplex vírus, que surge devido à exposição solar intensa, fadiga física e mental, estresse emocional, febre e outras infecções que diminuem a resistência orgânica. A infecção é mais frequente nos lábios e na região genital, mas o herpes pode aparecer em qualquer lugar da pele.

Como evitar?

A proteção solar é fundamental para que o herpes não desenvolva. “O paciente deve usar um protetor labial, cujo fator de proteção não deve ser inferior a 30, podendo ser usado várias vezes por dia, a cada duas horas”, indica o dermatologista.

Larvas Migrans (Bicho Geográfico)

É uma doença causada por parasitas intestinais do cão e do gato. Quando o animal defeca na areia são eliminados diversos ovos nas fezes que se transformam em larvas. Esses ovos penetram na pele provocando a doença. “Sua presença na pele caracteriza-se por um túnel tortuoso e avermelhado, pois a larva caminha sob a pele. Geralmente a doença é acompanhada de muita coceira”, ressalta Bertolini.

Como evitar?

Mantenha distância de animais na praia para evitar o contágio. Evite andar descalço em locais frequentados por cães e gatos.

doenca de peleMiliária (Brotejo)

As miliárias são bolinhas de água vermelha acompanhadas de coceira. Aparecem mais em crianças nas regiões das dobras de pele, como o pescoço. Elas estão relacionadas à secreção das glândulas sudoríparas e surgem devido ao excesso de calor e transpiração.

Como evitar?

Evite sol por muito tempo e ambientes muito quentes. Na hora do banho, aposte em uma água morna. Para acalmar a irritação, misture maisena no banho dos pequenos ou passe pasta d’água nas feridas.

Fitofotomelanose

Este tipo de queimadura de pele surge quando a pessoa manipulou limão e ficou exposta ao sol, sendo que perfume também pode provocar o problema. As áreas mais afetadas pelas manchas são as mãos, o colo e os lábios.

Como evitar?

Nos casos mais intensos, podem ocorrer fotodermatites, com o surgimento de manchas de tom avermelhado, bolhas, ardência e coceiras no local. “Nos casos mais graves, é indicado procurar um dermatologista para prescrever um tratamento específico. Geralmente, as manchas desaparecem de forma espontânea e gradativa”, diz o médico.

Tinea cruris (micose da virilha)

É uma lesão avermelhada e descamativa que ocorre em uma ou nas duas coxas, podendo afetar a pele do escroto. Essa micose é mais comum entre os homens, que permanece muito tempo com calção de banho molhado ou em períodos de suor intenso.

Como evitar?

Se surgir a lesão, isole o local com a toalha e seque sem esfregar, pressionando o local. Use roupas de baixo de algodão, evitando tecido sintético.

Dicas para prevenir doenças de pele

• Utilize sempre filtro solar;
• Seque bem o corpo após o banho, dando atenção especial aos espaços entre os dedos dos pés, as virilhas, as axilas e a região abaixo das mamas;
• Na praia ou clube evite ficar com roupas molhadas por muito tempo;
• Evite andar descalço em clubes e praias;
• Não fique exposto ao sol por muito tempo sem reaplicar o filtro solar;
• Hidrate sempre a pele;
• Não tome banho muito quente;
• Evite usar o mesmo calçado por dias seguidos, faça um revezamento;
• Não compartilhe pentes ou escovas de cabelo;
• Não utilize toalhas de outras pessoas, principalmente se estiver úmida.

Fonte - Dermatologista Anderson Bertolini (CRM- 107976)
Diretor Médico da Clínica Bertolini

You may also like...